Cala Boca, Isa!: Uma historia de se emocionar...

3 de abr de 2015

Uma historia de se emocionar...

Conheci essa historia a pouco tempo e tenho que admitir que eu, (uma pessoa quase sem sentimentos) me emocionei muito ao conhecer essa garotinha linda e esse pai dedicado... Calma, calma, ja vou contar a historia: Era uma vez um casal apaixonado, e dessa paixão surgiu uma garotinha linda chamada Raisa. A vida, que não é um mar de rosas, resolveu intervir nessa linda historia. A mãe da Raisa, Tati, acabou morrendo em um acidente de carro, desde então, quem tem tomado conta da princesa Raisa é seu pai Rafael. 
O que me chamou atenção nessa historia (alem de toda a superação) foi uma homenagem que os dois fizeram a Tati. Eu contatei o Rafael e ele topou fazer uma entrevista aqui pro NSEB. Confere ai, por que aposto que você vai chorar tanto quanto eu haha





     NSEB: Pelo seu blog, e a homenagem, dá pra perceber que você se preocupa muito com a Raisa e como ela vai crescer. Mas para você cuidar dela assim, você também precisou estar bem. Que cuidados você teve consigo mesmo pra guardar suas emoções e seu estado de espirito?
Rafael: Isa, a Raisa na verdade é minha prioridade, o foco é que ela esteja sempre bem independente do que aconteceu quero que ela esteja sempre num ambiente alegre e feliz, tomado de amor...
Com relação aos cuidados que tive comigo, posso lhe dizer que me apeguei demais em Deus, sempre fui de fazer minhas orações, mas essa atitude ficou mais intensa, pois eu tinha a plena convicção que só ele poderia me ajudar e eu não estava errado, a força que criei para lidar com a situação foi algo sobrenatural, inexplicável e o fato de eu ter focado a minha filha, o bem estar dela me ajudou a não tomar nenhuma atitude que fosse de risco pra mim e nem pra ela, cada decisão que tomava era pensando nela, então obrigatoriamente eu me cuidava muito espiritualmente.Relacionado a isso, diminui o ritmo de trabalho para pensar mais no que fazer e ter mais tempo com minha filha, busquei terapia ( o que faço até hoje) e o próprio blog me ajudou com minhas emoções, porque ali eu acabava e as vezes ainda acabo desabafando.

     NSEB: Como você reagiu nos primeiros dias após a morte da sua esposa?
Rafael: Fiquei completamente perdido, mas tive de criar forças, pois logo depois do ocorrido, olhei a minha volta e todos estavam em prantos...a família da minha falecida esposa, a minha família, os amigos e ai olhei para minha filha e ela estava sorrindo, sem entender o que estava acontecendo, aquilo pra mim foi um sinal de Deus...Então foi ai que decidi que poderia até sofrer, mas encontraria forças para lidar com a situação, resolver tudo que tinha de resolver e principalmente continuar vendo minha filha feliz e assim que minha filha dormia eu me ajoelhava e pedia pra Deus continuar me dando forças e continuar cuidando de nós, pois não estava fácil, mas não vou negar que em muitas dessas noites eu caia em prantos, mas bem baixinho para minha filha não ver e me questionava o que seria de nós dali pra frente, mas sempre confiando em Deus.

     NSEB: Quando a Tati morreu, acredito que a Raisa era muito nova para entender o que realmente tinha acontecido. Como a ela reagiu quando percebeu a falta da mãe?
Rafael: Essa pergunta é bem interessante, pois a minha decisão quando tudo aconteceu foi que a rotina da Raisa continuaria a mesma, ou seja, enquanto eu fui até o Rio Grande do Sul buscar o corpo da Tati, a Raisa estava na escola e a noite foi dormir na casa de uma família de amigos, no outro dia enquanto estávamos velando a Tati, a Raisa estava na escola, alguns psicólogos e especialistas podem até julgar minha atitude, mas eu não me arrependo em nenhum momento de ter tomado tal decisão,sendo assim ela foi dar falta da mamãe dois dias depois quando eu fui busca-la na hora do almoço na escola e quando ela me perguntou da mamãe, eu não havia tido tempo hábil para pesquisar o que falar naquele momento, então falei, que a mamãe estava viajando e ela respondeu de imediato, “Não papai, a mamãe não esta viajando, ela esta la em casa”, aquilo mexeu muito comigo e ao final da tarde levei ela até nossa casa e la realmente fui surpreendido pois ela brincava olhando para o teto e conversando com a mamãe, coisas como:
“Olha mamãe, olha isso”
“Olha agora mamãe, olha esse pulo que vou dar”
Aquela cena arrepiou a todos que estavam ali presentes e todos tiveram a certeza que a Tati estava ali, difícil dizer isso, até porque a religião a qual sigo não acredita nisso, mas eu presenciei um momento muito especial ali e essas conversas com a mamãe duraram uns 2 meses., depois foi cessando e parou.

     NSEB: Você pensou em algum momento em deixar a Raisa sobre os cuidados de outra pessoa?
Rafael: Em nenhum momento, independente da decisão que eu tomaria a Raisa estaria comigo, sempre fui criado numa família repleta de amor e sempre muito presente em minha vida, então eu sei o quanto isso é importante na formação de uma criança e sem contar que eu sou o PAI dela, não é mais que minha obrigação cuidar da minha filha, antes da Tati falecer sempre ajudei na criação da Raisa então isso também facilitou a minha decisão, sempre estive ao lado da minha filha e sempre vou estar.

     NSEB: Como você imagina a Raisa quando crescer, passando pela adolescência? Você pretende fazer o papel de mãe também, ajudando a entender o corpo, enfrentar dificuldades e coisas assim, ou prefere alguma outra mulher, como a vó, explicando tudo pra ela?
Rafael: Então esse é o meu maior medo, quando chegar uma idade em que possa existir uma revolta por tudo que acontecerá, sei que isso também vai depender de como nossa vida vai seguir, se vou arrumar um companheira novamente ou não, isso influenciaria muito no processo, mas é uma incógnita, não sabemos, então tenho de trabalhar como se não fosse haver ninguém, sendo assim pretendo me informar ao maximo sobre todos os assuntos ligados ao corpo feminino, transformação, desenvolvimento e claro sempre com um dialogo freqüente, constante com minha filha, assim lhe passarei cada vez mais confiança para que tenhamos conversas de todos os tipos e sei que para isso acontecer de forma positiva, depende apenas de mim, de como vou me comportar como pai, amigo, companheiro desde a infância, até a hora em que esse momento chegar e claro contando sempre com a ajuda das avós, das madrinhas, amigas próximas, é como eu digo Isa, tudo se resolve, basta uma atitude.

     NSEB: Pelo que vejo, vocês dois são muito próximos. Como você acha que vai reagir ao primeiro namorado dela?
Rafael: Hahaha...Pergunta difícil, Sou ciumento sim e sei que não vai ser fácil, mas como citei na pergunta anterior, vou buscar sempre um dialogo aberto, sincero com ela, mostrando a ela o quanto Deus é essencial em nossas vidas e sempre dar muito, mas muito amor a minha filha, sendo assim ela nunca irá se contentar com um homem que queira dar menos do que ela recebeu do pai, então ela irá fazer boas escolhas, assim espero rsrs.

     NSEB: Por fim: O que você diria para homens (ou mulheres) que como você, perderam o cônjuge e tem que cuidar dos filhos sozinhos e lidar com o sentimento da perda? 
Rafael: Se apeguem em Deus, não tentem resolver a situação com as próprias forças, pode ser perigoso, você pode acabar indo pro lado errado, pois é um momento que a pessoa esta totalmente desnorteada, fora de si, mas não percebe, pensem muito antes de tomar uma atitude, pois logo que perdemos alguém que amamos, o sentimento chamado carência aumenta ainda mais dentro de nós e ai mora o perigo, uma atitude tomada as pressas pode trazer conseqüências ruins la na frente. Com a criação do blog tive a oportunidade de conversar com algumas pessoas que passaram pela mesma situação que eu e vou citar alguns relatos:
“Entrei na cachaça, ia para a noite todos os dias, querendo fugir do meu luto, eu não queria viver a minha perda e 8 meses depois despertei e vi que eu precisava viver meu luto e fiquei 3 meses chorando”.
“Deixei meus filhos com a vó e só pensava em balada, mas não adiantou, em pouco tempo cai e sofri minha perca”.
“Seis meses após a perda do meu marido, me relacionei com outro homem que é o meu atual marido, hoje depois de 2 anos e meio percebo que poderia ter esperado um pouco mais, na carência acabei antecipando as coisas e querendo tampar aquele buraco o quanto antes”.
Em cima dos relatos acima, vou repetir de forma intensa, busquem a Deus, se ajoelhem, confiem nele, o problema já existe, então lute de frente com ele, passe pelo que você tem de passar, não tente fugir do luto, será pior, você apenas vai adiar o seu sofrimento, não sabemos ao certo porque fomos escolhidos para passar por isso, mas fomos, sendo assim enfrente a situaçao, ore muito, chore, questione o porque, mas não fuja, com o tempo as coisas vão se amenizando, os medos vão diminuindo, as inseguranças não são mais tão grandiosas quanto pareciam, enfim, tenham atitude, você tem dois caminhos a seguir, ou morrer aos poucos com quem se foi, se trancar num quarto e chorar, chorar e chorar, lembrando que quando se opta por esse caminho, você atrai apenas pensamentos negativos, ou seguir firme na certeza de que não era sua hora, senão você teria ido e que a vida é um mistério no qual devemos viver intensamente, pois assim como nossos amados se foram, amanha poderemos ser nós. Busquem a Deus insistentemente, ele faz com que a situação se torne menos difícil, ele da as respostas as quais necessitamos, ele nos da conforto, colo e principalmente a certeza de que tudo ficará bem.



Lembram daquela homenagem que falei no inicio do post?? Ta aqui ó: O Rafael e a Raisa re-fizeram as fotos que o casal tirou pouco antes do casamento, deixando-as muito parecidas com as originais. Eu adorei a ideia e as fotos ficaram realmente muito lindas. Confere ai:



















Se a essa altura voc já esta tão emocionado quanto eu, espere só pelo video das fotos e o por tras das cameras! Confere ai:



O Rafael tem tambem um blog, chamado O diario da Raisinha que conta um pouco do dia a dia dessa princesinha. O post da homenagem é esse aqui que conta um pouco sobre essa historia. Dá uma passada lá e me diz o que achou ;D

Agora me conta: só eu que me emocionei muito?? Não consegui assistir o video uma vez só haha E vocs? O que acharam?

Recadinhos:
7 Recadinhos:

7 comentários:

  1. Que história linda! E essa homenagem?
    É realmente de se emocionar... É incrível como o ser humano possui essa habilidade de se superar. De cair, mas levantar e seguir em frente. Alguns a usam, muitos não usam. Mas esse homem a usou. Parabéns para ele!

    http://eujovemdemais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tb achei essa historia muito linda, me emocionei mt. O Rafael com certeza usou essa habilidade de superar dificuldades... Parabens Rafael!!
      Beijos

      Excluir
  2. (◕〝◕) Olá
    Vim conhecer teu blog!
    Decidi ficar porque gostei!!!
    Te espero la no meu cantinho. Bjos ❤
     http://cultivecurtenatureza.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Que emocionante, chorando horrores aqui... :')

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb chorei mt quando conheci a historia haha
      Beijos

      Excluir